Châteauneuf-du-Pape

 

Essa é uma das regiões vinícolas de maior reputação no mundo! Só isso já seria um bom motivo para conhecê-la melhor. Mas a história de Châteauneuf-du-Pape tem ainda muito mais a oferecer para os amantes do vinho!

Essa região, localizada no sul da França, já era produtora de vinho desde o Império Romano, mas foi a partir do século 14 que o vinho produzido ali realmente se desenvolveu.

Primeiro, o papa Clemente V (1264-1314) mudou a sede da Igreja Católica, de Roma para a cidade francesa Avignon, em 1309. O papa seguinte, João XXII (1244-1334), construiu um castelo em Châteauneuf (a 20 km de Avignon), para ser sua casa de veraneio, e o vinho desta região passou a ser conhecido como Vin du Pape, já que abastecia regularmente a residência papal.

Châteauneuf significa “novo forte”, ou “novo castelo”. Châteuneuf-du-Pape é o novo castelo do Papa, portanto. E é o castelo que vemos, ao fundo, à direita, na foto do início do artigo.

Com o fim dos “Papados de Avignon” (a sede da Igreja voltou a ser Roma, em 1377), as guerras religiosas do século 16, a Revolução Francesa no final do século 18, e a ocupação nazista na 2ª Guerra Mundial, o famoso castelo ficou em ruínas, mas é um dos muitos pontos turísticos europeus que merece ser visitado!

Com o objetivo de evitar fraudes e falsificações, produtores locais criaram normas para fiscalização dos verdadeiros vinhos Châteauneuf-du-Pape, que depois deram origem ao sistema AOC (Appellation d’Origine Contrôlée), influenciando também a regulamentação de denominação de origem da vinicultura de outros países.

Além da importância histórica, o que mais faz esses vinhos serem tão especiais?

Sua ampla gama de aromas e sabores, e, principalmente, sua textura rica e redonda, suntuosa e opulenta, que torna um Châteauneuf-du-Pape praticamente incomparável com a maioria dos vinhos do mundo.

Uma das características mais marcantes da denominação Châteauneuf-du-Pape é a abundante quantidade de variedades que podem ser utilizadas: treze.

Costuma-se dizer que Grenache, a variedade predominante da denominação (80%) dá o caráter dos vinhos de Châteauneuf-du-Pape. Nem todas as cepas são utilizadas em todos os vinhos, é claro, e elas podem ser vinificadas em conjunto ou separadamente. Junto com a Grenache, Syrah, Mourvèdre e Cinsault são utilizados essencialmente para vinhos tintos, onde também podem aparecer Counoise, Vaccarèse, Terret Noir e Muscardin. O vinho branco é produzido a partir de Clairette, Grenache Blanc, Roussane, Bourboulenc, Picpoul e Picardan.

As regras que regulamentam a produção de vinhos rotulados como Châteauneuf-du-Pape está entre as mais rígidas, de maneira a garantir um produto com características únicas, e de alta qualidade. Para se ter uma ideia, a colheita deve ser necessariamente manual, e o rendimento máximo estabelecido para os vinhedos, de 35 hectolitros por hectare, está entre os mais baixos de toda a França. Se quiser ler sobre como esse tipo de controle interfere na qualidade de um vinho, clique aqui.

E, além de cumprir todas as regras estabelecidas pela legislação, muitos produtores de Châteauneuf-du-Pape também são orientados por práticas de cultivo orgânico e biodinâmico, que oferecem as expressões mais naturais de uma uva, com vinhos igualmente considerados mais puros.

Conhecer pessoalmente a região, visitando o castelo, coisa e tal, infelizmente talvez seja para poucos... Mas aproximar-se dessa história, por meio de seus vinhos, parece ser um excelente começo! O que você acha?

 




Quem somos

 

O Tintos&Tantos nasceu em 2013, e em seu pouco tempo de vida, já se tornou uma referência no mercado editorial de vinho, nacional e internacionalmente.

 

Para contar quem somos, primeiro vamos dizer quem nós não somos. Não somos um blog de vinhos. Não somos críticos de vinhos.

 

O Tintos&Tantos é um portal de Internet, que dá acesso a um conteúdo editorial, de produção própria, inteiramente dedicado ao mundo do vinho. 

 

Nossa contribuição é prover informação imparcial, relevante e gratuita.  Sempre em linguagem acessível e agradável de ler.

 

O intuito do Tintos&Tantos é o de fomentar o estudo, o interesse, a crítica, e até mesmo a polêmica a respeito do vinho.

 

Nosso foco não é competir com outros geradores de conteúdo, pelo contrário: ao sermos mais um agente no desenvolvimento desse mercado, e na consolidação dessa cultura, todos nós, apaixonados por vinho, ganhamos: consumidores, editores especializados, blogueiros, youtubers, produtores, importadores, sommeliers, enólogos e enófilos em geral...

 

Na nossa opinião, quanto mais gente do bem estiver falando sobre o mundo do vinho, com respeito e profissionalismo, melhor para todos nós.

 

Assim, é com imensa satisfação que criamos conteúdo diário e interagimos com cada leitor, através dos nossos canais de comunicação e de mídias sociais. 

 

No Facebook (www.facebook.com/tintosetantos), por exemplo, onde tantos amigos nos acompanham, é com orgulho que constatamos ser, o Tintos&Tantos, a maior página do Facebook, no mundo, em sua categoria! Uma comunidade de pessoas curtindo, comentando, se divertindo, aprendendo e ensinando, concordando e discordando... Todos nós, apaixonados pelo maravilhoso universo que cerca o vinho.

 

Não somos donos da verdade. Na verdade, recomendamos fortemente que se duvide de qualquer um que diga conhecer tudo sobre vinhos.

 

Esperamos que você aprecie e que continue nos acompanhando, e sempre que possível, ajudando na divulgação e propagação desse projeto, cujo foco será sempre você, vinhonauta!

 

A você, o nosso muito obrigado!

A você, o nosso brinde!

 

Em caso de dúvida, crítica ou sugestão, entre em contato pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.